Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

Tarde de quinta-feira salva por um delicioso cliente e a dispensa de um idoso "bolsominion" pela manhã!

Boa noite prezados leitores e leitoras!
Cheguei há pouco do dentista. Confesso que hoje meu dia começou estranho, ou melhor, começou bem, mas eu tive um encontro muito tragicômico com um cidadão que há dias tentava agendar algo comigo.
O sujeito parecia mais magro e jovem no WhatsApp, mas não era. Além de tudo, alugou meus ouvidos contando sobre um pseudo-romance há 3 anos com uma prostituta que está no RS. Pelo que ouvi da trajetória da infeliz, ela é bem baixo nível (burra e com alta rotatividade) e explora o cidadão de forma notória, mas como um bom apoiador do Bolsonaro o infeliz é burro o suficiente para não enxergar o óbvio. Vejam isso:
Apesar de ser notoriamente acostumado com "acompanhantes" que se vestem vulgarmente, eu dei uma chance após ele se desculpar pela observação esdrúxula. Eu fui muito besta... Risos... E ainda desperdicei água no banho, óleo corporal e perfume!
Coitado! É um cidadão com problemas de ego e muito ruim de pegada, tanto que eu não dei prosseguimento ao encontro. A priori, ele ia me pagar a hora inteira, mas antes de eu sair usou umas analogias "cristãs" para falar de justiça e resolveu pagar-me apenas R$ 350,00. Bem, eu não teria aceito se eu não tivesse ouvido tanto assunto porcaria em tão pouco tempo! Na verdade, nos encontramos no Mercure e eu não me registrei, logo, fiquei com medo de ser muito franca e ele me agredir ou algo afim. 
Desde o primeiro contato eu vi que ele é acostumado com o tipo de mulher que topa tudo por dinheiro e faz sexo em troca de grana por necessidade, não pelo próprio prazer. 
Confesso que eu deveria ter ouvido a minha intuição, perdido os R$ 350,00, mas nunca ter perdido uma hora da minha vida ouvindo o coroa hipócrita e ruim de papo. Deusmelivre! Bem, ao menos não prestei-me a transar com ele e chupá-lo, eu não me perdoaria por isso e, com calma, escapei do encontro com a desculpa da "ausência de química", quando, na verdade, desde o início achei o papo broxante. (Éca!)
Para salvar minha quinta-feira recebi, no início da tarde, um adorável cliente que me acompanha desde que comecei, em 2016! Jovem, lindo, gostoso, bom de pegada, bom de papo!
Gozei muito, fiz squirts sentada no pau dele e gozei demais com ele metendo na minha boceta de quatro! 
Terminamos, como de costume, com ele atolando no meu cuzinho, me fazendo gozar e gozando horrores!
Após, minha mãe chegou e assistimos seriado um pouco, antes de eu ir ao dentista. 
Desejo à todos uma excelente noite!
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário