Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 11 de fevereiro de 2018

Denúncia: sobre o proxenetismo, o crime de Rufianismo e uma "agência" denominada "Barra Models".

Vamos falar de aliciamento de mulheres, vamos falar de rufianismo? Vamos falar de ilicitude escrachada?
Sim, vamos! Então leiam os prints abaixo:



Mulheres que me leem, sentem aqui e prestem atenção: vocês não precisam sujeitarem-se a exploração sexual. 
Anuindo com ela vocês perdem o direito de selecionar seus clientes, de conquistar seu espaço, consideração e respeito. Vocês colocam-se nas "mãos" de "empresa" cuja atividade é criminosa. E essas pessoas são perigosas.
Elas vão mentir para vocês. Elas vão usar vocês. Elas irão tornar-lhes dependentes delas e poderão transformar a sua vida num inferno.
Enfim, elas tiram de você o arbítrio através de promessas fantasiosas de lucros exorbitantes sem contar-lhes os riscos e perigos do "agenciamento".
Não sejam estúpidas e, principalmente, não deixem a ambição, a futilidade e a ganância tomar-lhes a mente, pois quando isso ocorre nascem decisões infelizes e tendentes a fazer-lhes  perder a dignidade. Cedo ou tarde é isso que irá lhes ocorrer!
Dinheiro algum compra a paz de dormir tranquila, de fazer o que deseja, com quem deseja sem precisar dar satisfação e prestar contas para pessoa alguma. 
Não perca a sua liberdade e nunca perca-se de si mesma no afã por uma vida confortável e lucros. 
Isso não vale a pena. 
Nunca valerá.
Sobre a atividade criminosa da tal "Barra Models" o Código Penal Brasileiro é claro:

Art. 230 - Tirar proveito da prostituição alheia, participando diretamente de seus lucros ou fazendo-se sustentar, no todo ou em parte, por quem a exerça:
Pena - reclusão, de um a quatro anos, e multa.
§ 1º Se a vítima é menor de 18 (dezoito) e maior de 14 (catorze) anos ou se o crime é cometido por ascendente, padrasto, madrasta, irmão, enteado, cônjuge, companheiro, tutor ou curador, preceptor ou empregador da vítima, ou por quem assumiu, por lei ou outra forma, obrigação de cuidado, proteção ou vigilância:
Pena - reclusão, de 3 (três) a 6 (seis) anos, e multa. 
§ 2º Se o crime é cometido mediante violência, grave ameaça, fraude ou outro meio que impeça ou dificulte a livre manifestação da vontade da vítima: 
Pena - reclusão, de 2 (dois) a 8 (oito) anos, sem prejuízo da pena correspondente à violência.
Tráfico internacional de pessoa para fim de exploração sexual.

Entenderam?
Aceitar "convites" como o feito pelo tal de Saulo significa anuir em ser vítima de um crime. Significa envolver-se com criminosos, cujos clientes, com certeza, "boa coisa" não devem ser. Podem até ter dinheiro, mas provavelmente são feios, asquerosos e grosseiros, do tipo que precisa contatar um "cafetão" (basicamente a atividade da "agência" referida é a "cafetinagem", o proxenetismo) para conseguir fazer sexo com alguém.
Mulheres inteligentes anunciam em sites idôneos e os homens as procuram porque nele viram o seu perfil e, obviamente, gostaram. Mulheres inteligentes não se expõem a riscos desnecessários numa sociedade machista e misógina. Mulheres inteligentes gerenciam riscos e preferem lucrar menos a arriscar perder a própria dignidade.
Por favor, se não lhes for possível ter cultura, boa instrução e até fineza, tentem, ao menos, serem espertas e inteligentes!
Amem-se!
Respeitem-se!
Valorizem-se!
Cuidem-se!
Cláudia de Marchi
Brasília/DF, 11 de fevereiro de 2018.

Nenhum comentário:

Postar um comentário