Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Duas horas de sexo devasso para encerrar a terça-feira com várias "idas" ao céu!

Boa noite adoráveis leitores e leitoras!
Eis que, como diria minha mãe, "depois de um longo e rigoroso inverno" tive um encontro magnífico!
Quando ele me contatou e disse que poderia hoje às 21 horas resolvi romper com a "regra" de não receber visitas após às 19 horas. Minha intuição iluminou o botão verde de "vai valer a pena"! E valeu, valeu tanto que estou me sentindo meio tonta de tantos orgasmos que tive nas duas últimas horas, mas vou escrever agora este relato, porque deve ter gente achando que aderi a uma espécie de celibato pós-veraneio, sobretudo depois do "peladão" que dispensei no sábado passado... (minha mãe apelidou o cidadão esquisitão assim) Risos...
Ele, pessoalmente é ainda mais bonito do que na foto do Whatsapp, além de educado e com um sorriso sensacional, (beijos, idem)! Depois de "cairmos" vestidos na cama aos beijos, ele perguntou se poderia tirar a camisa, pois estava quente. Colocou no cabide e veio, beijando-me muito, tocando-me aos poucos. Tirei o vestido e ele tirou minha calcinha e foi me chupar!
Nossa!!!! Que boca, que delícia! Gozei muito! Ele tirou a calça neste ínterim e, a meu pedido a cueca. Fizemos um 69 delicioso tal qual ele é inteiro! No decorrer de toda aquela explosão de tesão pegamos a camisinha, ele colocou e veio sobre mim. Saboreou-me aos poucos e me fez gozar muito e intensamente... Disse-me que queria ter vindo antes e que estava muito desejoso de mim. Eu não duvidei, afinal ele conseguiu me levar ao céu incontáveis vezes.
Fiquei de lado, coloquei o pau dele no meu cuzinho, gozei a ponto de molhar as coxas, depois mudamos de posição e terminei sobre ele! Nossa! Que maravilha! Estávamos derretendo de suor, mas eu não ligava, tamanho o envolvimento naquele sexo sensacional. 
Ele disse que queria me chupar e sentir meu gosto novamente, eu disse que ia tomar uma ducha e peguei uma água para a gente. Tomei um banho e voltei, conversamos um pouco mais e logo estávamos nos beijando ardentemente. 
Ele me chupou daquele jeito fabuloso e, após um tempo, colocou um dedo na minha boceta e lambia meu gozo. Fiquei virada para ele de pernas abertas e ele me masturbando! Gozei várias vezes e fiz um squirt que esguichou forte! 
Ficamos assim até eu pedir para ele me comer de novo! E ele me comeu oscilando entre enfiadas lentas e outras mais fortes! Uau! Gozei, mas gozei demais! 
Depois pedi para ele deitar e o chupei! Logo ele começou a me masturbar de novo, me levando ao céu novamente...Risos...
Combinamos que sexta-feira passaremos à noite juntos com direito a "devoração" sem hora para acabar (melhor coisa do mundo!). 
Estou ansiosa desde agora pelo reencontro! Ainda bem que amanhã já é quarta-feira e eu tenho uns compromissos literários para cumprir até domingo pela manhã (contarei tão logo algo se concretize!). Enfim, estarei ocupada, logo o tempo passará mais rápido. (Benzadeus!) 
Bem, ele tomou uma ducha e eu outra. Deixou o valor do tempo que ficamos juntos, alinhavamos novamente o reencontro na sexta e, contra a minha vontade, porém de acordo com a necessidade do momento (...risos...afinal, mamãe mora comigo e ele tem seus compromissos...), ele foi para casa! 
Fiz um lanche e agora vou dormir! 
Dormir como um anjo. Um anjo devasso, mas um anjo...Risos...
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário