Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sábado, 2 de dezembro de 2017

Sobre as seleções de Mestrado e convite para o lançamento do meu livro...

Boa tarde lindas pessoas!
Eis que, após 10 anos longe da Academia, descobri em cima da hora a seleção de Mestrado da UCB (Universidade Católica de Brasília) e consegui ser aprovada (incluindo a proficiência em língua estrangeira) em todas as fases. 
Assim como fui aprovada nas duas primeiras fases do processo seletivo do Mestrado em Direito Constitucional do IDP- Instituto de Direito de Brasília (análise curricular e do projeto de dissertação). A entrevista ocorrerá ao fim da próxima semana, enquanto isso tento escolher em qual irei me inscrever. 
Mas, estou empolgada. Pretendo tentar o Doutorado na UNB, quando abrir. 
Bem, está semana me resguardei ao máximo por conta da minha pele em recuperação da insolação e, logicamente, porque não achei esteticamente interessante nenhum dos homens que me contataram de quarta-feira até hoje, a exceção de um lord com quem me encontrarei hoje à noite, aqui em casa.
Ontem, enfim defini a data da cerimônia formal de lançamento do meu livro. 
Como cheguei tarde para lançar em dezembro, em virtude estas seleções de Mestrado e janeiro eu viajo com minhas tias e mãe, achei em fevereiro, após o carnaval, uma data oportuna!
Será dia 21/02/2018, quarta-feira, no Carpe Diem da 104 Sul, a partir das 19 horas. 
Incrível como 2017 se mostrou um magnífico ano para mim: não conheci nenhum homem perturbado, não fiz "amizade" com gente hipócrita, falsa ou problemática e, sobretudo, me afastei de tudo e todos que não me faziam plenamente bem!
Resultado: consegui mais do que imaginava!
Apesar de uma derrota jurídica que atribuo à advogados relapsos na instrução processual (apesar do número de documentos repassados nada usaram) e testemunhas "amnésicas", posso dizer que termino o ano com um lindo sorriso de orelha a orelha e melhor do que nunca! Benzadeus! 
Bem, no dia do lançamento do meu livro haverão obras à venda no local com máquina de débito e crédito, mas quem já adquiriu e deseja uma dedicatória e um bom papo, sinta-se à vontade para ir ao meu encontro levando o seu exemplar!
Abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário