Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sexta-feira, 27 de outubro de 2017

Sextou!

Eis que a sexta-feira foi de cuidados com as melenas no meu super-hiper-mega fabuloso cabeleireiro Fernando Kosta, lá na Vila Planalto, local onde os pseudo-burgueses elitistas menosprezam haja vista não ser um bairro planejado e ser bastante misturado: casas humildes, casas simples, mas lá encontrei pessoas encantadoras e acolhedoras!
Amo o lugar!
Segue uma fotinho com o meu divo, cujo salão , atualmente, fica em frente ao excelente restaurante de culinária mineira  "Fogão de Pedra"!
 Cabelos hidratados dão até uma paz na gente! Risos... Fiz nanobotox e corte bordado (tira as pontas duplas sem afetar o comprimento)! Em promoção neste mês: R$ 80,00!
 Fui ao fórum hoje ver um probleminhas tragicômicos, cheguei em casa e adormeci! Acordei há pouco e com foco nos estudos, porque quem escolheu o Direito não pode parar de estudar, ainda que a fonte de rendimentos atuais venha de outros meios.
Logo que cheguei do fórum e coloquei minha tradicional camisola de ficar em casa, fiz umas selfies com o Zeus, meu amadinho!
Agora deixo-lhes com uma bela música em homenagem a Grey´s Anatomy cujas 13 primeiras temporadas assisti em menos de um mês! Tempo livre, né?! Agora é voltar a utiliza-lo em prol da Educação.
Bom final de semana à todos!
Beijos de luz a quem me respeita e beijos de muita luz a quem me apedreja, porque quem odeia quem desconhece, vive na treva da ignorância!

Um comentário: