Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

domingo, 10 de setembro de 2017

"Desvirginando" um gostoso e lindo cavalheiro no anal no domingo de manhã!

Bom dia leitores e leitoras lindos deste Brasil!
Neste domingo, acordei-me cedo, vez que dormi igualmente cedo ontem à noite após assistir a uns bons filmes!
Bem, por sorte um rapaz charmoso, educado e culto que há dias estava querendo conhecer-me tèt a tèt, agendou comigo. Vi seu rosto no Whatsapp e, a beleza, aliada a educação e classe me fez agendar feliz!
Fui tomar um bom banho e aguardei-lhe. 
Chegou, era mais alto do que parecia e, também, mais forte. Conversou bastante, está em crise no casamento e vivenciando aquela fase de círculo vicioso em que o cidadão fica tentado a manter as aparências ou a se encorajar a ser feliz em solitude!
Quando me beijou estava faminto por mim! Percebi que ele estava vidrado em meus olhos e boca enquanto conversávamos. O beijo foi estupendo e logo nos despimos. Entre beijos, toques e línguas eu gozava e ele se segurava para não "explodir" na minha boca.
Colocou o preservativo e veio sobre mim, metia e me beijava: melhor jeito de eu gozar litros com squirts.
Sentia o peso dele sobre mim, o pau inteiro dentro de mim: nossa, gozei muito! Então, pedi-lhe para comer meu rabinho. Ele, então, confessou-me que nunca fez sexo anal na vida dele, pois as suas ex-namoradas e atual esposa não gostavam e ele nunca achou uma "acompanhante de luxo" que estivesse no nível do que ele gosta e admira. Até conhecer-me, através da matéria no A Folha de São Paulo, of course!
Enfim, quem é bom no sexo nasce sabendo, só se aprimora ao longo das experiências, mas ele comeu meu cuzinho deliciosamente bem.
Meteu comigo de lado e depois pedi para ele ficar de pé e comer-me na beirada da cama. Fiz squirts que molharam o chão e os pés dele que gozou muito!
Fomos tomar uma ducha e logo ele teve que ir embora, pois tinha que buscar a família em algum lugar. Eu fiquei realizada, li e, agora, acabei de fazer uma caipirinha de limão ("limonada alcoólica" seria o nome mais apropriado!) deliciosa! (Vide foto)
A tarde promete leitura, filmes e soninho e, se algum homem fino, bonito e educado me contatar, mais sexo! Porque para estes eu estou sempre disposta. Para os demais? Nem morta!
Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário