Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Os 9 piores contatos do final de agosto!

Divirtam-se com os top dos piores do fim de agosto!

1- 

E foi bloqueado, obviamente, porque nem toda "puta" gosta de palavreado falso e pseudo-romântico! (E eu não estou no anúncio do Banco do Brasil!)

2-

Acordando cedo para ir ao toalete e vivenciando aquele "incrível", porém corriqueiro prazer que se chama "ver macho brasiliense boçal passando vergonha no WhatsApp".

3- 

Tô até pensando em começar com o lance da "dominação", mas tipo, eu só vou bater, pisar, chicotear e etc., os "finalmente" eu pulo, porque pra mim nada é mais broxante do que homem que quer ser dominado! Agora, bater em macho assim, até que seria agradável. Mas sexo? Jamé!

4- 

Quando o cidadão quer jantar, tomar vinho e deixa o sexo para depois, fraqueja um tanto, "tudo" acaba em menos de 15 minutos, ele só lhe paga a hora (R$ 650,00), mas quer "remediar" a situação virtualmente com subterfúgios que eu odeio! 
Vai pagar, filhinho? Se não, dane-se! Eu não sou mulher interesseira pra ficar toda feliz e de pernas abertas só porque o cara se diz milionário. 
É tudo "isso"? Então pague até os minutos do jantar. A mim não interessa os "teres e poderes" dos meus clientes, mas o respeito com que eles tratam a minha profissão, por mais intensa e espontânea que eu seja. (Restaurante caro e vinho bom eu mesma pago!)


5- 

"Releias E procure" outra Sr. Professor de Inglês "em" domicílio em SP. (Na certa ia propor uma permuta!)
Como pode um ser humano acessar um anúncio que tem o valor da hora e o site da acompanhante para informações e prestar-se a mandar uma mensagem desta? Esse se colocar de quatro sai pastando e remoendo em inglês, of course!

6- 

Quando você é sutil e delicada (bloqueia calada), mas a pessoa pede uma "lapada"! Como se chamar via SMS, de outro número, oferecendo R$ 150,00 a mais mudasse alguma coisa pra mim! Vai vendo, Zé Mané!
Eu estou neste trabalho pelo meu prazer, não pra fingir orgasmo, chamar desconhecido de "amor" e ganhar uns trocados.
O money é o plus, mas sem tesão, atração e beijo gostoso eu "vazo", não quero saber nem de olhar na cara! 

7-

Este me contatou agora, no sábado dia 26/08. Achei melhor bloquear e não responder nada. Quem escreve "sidade" não vale o desperdício de "latim". 

8- 

E o que dizer deste cidadão acostumado com mulher baixa que admite ser tratada como objeto por macho bagaceira que não sabe, sequer, abordar educadamente uma cortesã? "Grotesco" ainda é um elogio para um ser infame deste "naipe".
Arre, o dia em que eu agendar um encontro com um cara desses eu me suicido!

9- 



Não sabe respeitar uma cortesã, baby? Não tem classe, educação e fineza? Então vem aqui que eu coloco homem grosseiro no seu devido lugar: bem longe de mim!


Cláudia de Marchi

Brasília/DF, 25 de agosto de 2017. 
(Editado em 31/08/2017).

Nenhum comentário:

Postar um comentário