Sobre o pálido ponto azul.

Sobre o pálido ponto azul.
"Nós podemos explicar o azul-pálido desse pequeno mundo que conhecemos muito bem. Se um cientista alienígena, recém-chegado às imediações de nosso Sistema Solar, poderia fidedignamente inferir oceanos, nuvens e uma atmosfera espessa, já não é tão certo. Netuno, por exemplo, é azul, mas por razões inteiramente diferentes. Desse ponto distante de observação, a Terra talvez não apresentasse nenhum interesse especial. Para nós, no entanto, ela é diferente. Olhem de novo para o ponto. É ali. É a nossa casa. Somos nós. Nesse ponto, todos aqueles que amamos, que conhecemos, de quem já ouvimos falar, todos os seres humanos que já existiram, vivem ou viveram as suas vidas. Toda a nossa mistura de alegria e sofrimento, todas as inúmeras religiões, ideologias e doutrinas econômicas, todos os caçadores e saqueadores, heróis e covardes, criadores e destruidores de civilizações, reis e camponeses, jovens casais apaixonados, pais e mães, todas as crianças, todos os inventores e exploradores, professores de moral, políticos corruptos, "superastros", "líderes supremos", todos os santos e pecadores da história de nossa espécie, ali - num grão de poeira suspenso num raio de sol. A Terra é um palco muito pequeno em uma imensa arena cósmica. Pensem nos rios de sangue derramados por todos os generais e imperadores para que, na glória do triunfo, pudessem ser os senhores momentâneos de uma fração desse ponto. Pensem nas crueldades infinitas cometidas pelos habitantes de um canto desse pixel contra os habitantes mal distinguíveis de algum outro canto, em seus freqüentes conflitos, em sua ânsia de recíproca destruição, em seus ódios ardentes. Nossas atitudes, nossa pretensa importância de que temos uma posição privilegiada no Universo, tudo isso é posto em dúvida por esse ponto de luz pálida. O nosso planeta é um pontinho solitário na grande escuridão cósmica circundante. Em nossa obscuridade, no meio de toda essa imensidão, não há nenhum indício de que, de algum outro mundo, virá socorro que nos salve de nós mesmos. (...)" Carl Sagan

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Quarta-feira de um delicioso reencontro e prazer sexual indefinível!

Boa noite gente linda!
Eis que hoje à tarde eu estava lanchando com amigos, quando recebo a ligação de um cliente que mora em outro Estado e esteve viajando e curtindo suas férias nos últimos meses.
Sai de onde estávamos, vim para casa, tomei um banho e fui ao seu encontro. 
Ele havia comprado um bom vinho branco. Quando cheguei a temperatura do vinho estava ótima! Conversamos bastante, rimos muito e nos beijamos logo de cara. Saudade recíproca, afinal nos damos muito bem.
Após muito tempo de conversa, escolha de boas músicas e bebericadas nos beijamos intensamente de novo! Eu estava sem calcinha por baixo do clássico vestido preto que eu vestia. 
Ele logo percebeu, ergueu-o e me chupou com vontade sem demorar para me fazer gozar. A música parou, ele foi "reativá-la", virei-me de costas para ele tirar meu vestido. Tirou, lambeu meu cuzinho, tornou a me chupar e me levar a um estado de embriaguez de tanto gozar em sua boca!
Após, ele tirou sua calça e cueca e eu o chupei, chupei muito! Então, colocamos a camisinha e eu subi sobre ele. Ele costumeiramente me dá a missão de não deixar o pau dele amolecer. E eu não deixo, mesmo após ele gozar e tirar a camisinha: eu o abocanho de novo.
Subi sobre ele e ele foi metendo fundo, fiz vários squirts, gozei demais a ponto de molhar todas as cobertas que haviam, apesar de ter um cobertor pesado sobre as demais roupas de cama!
Ele tirou a camisinha após gozar e eu o chupei, chupei, logo ele estava com o pau duro de novo! Ele me chupou novamente, meteu os dedos no meu cu, colocou a camisinha após eu chupá-lo, sentei com meu cu no pau dele enquanto o beijava e cavalgava, depois ele me pegou de costas, segurou minhas pernas e comeu meu cuzinho na beira da cama! Gozei tanto que lavei a cama de novo, ele tirou a camisinha, tornei a chupá-lo!
Deitamos, ele me chupou mais e me beijou muito como de início. Após eu chupá-lo de novo, colocou outra camisinha e eu sentei com meu cu no pau dele, virada de costas pra ele! Gozei sentindo ele inteiro em mim. Por fim, ele me comeu praticamente de costas, num anal perfeito e cheio de beijos molhados e despudorados!
Segundo ele, não fosse o uso da camisinha, ele teria gozado umas 5 vezes! Foi uma transa tão intensa e cheia de prazer que sinto que estou esquecendo de algo... Mas, enfim, foram horas de sexo incrível!
Resta-me descansar para manter a pele bonita! Beijos de luz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário